Finalmente, um Motivo para Comer Mais Massa

Por Filippo Berio
E se você pudesse comer massa o tempo todo e nâo se sentir culpado? Parece bom demais para ser verdade, certo? Um estudo britânico de 2014 comprovou que isso pode estar mais próximo de ser verdade do que você pensa.

De acordo com os resultados de um pequeno experimento conduzido no programa da BBC “Tust me, I´m a Doctor”, a massa que já foi cozida, resfriada e reaquecida produz um pico menor (50% menos) nos níveis de glicose no sangue do que a massa logo após cozida.

Normalmente, durante o processo de digestão, os carboidratos, tais como massa (feita com farinha enriquecida) e arroz branco, são absorvidos pelo organismo como açúcar simples. Isso gera um rápido aumento de glicose no sangue e força seu corpo a trabalhar rapidamente para produzir a insulina necessária para normalizar os níveis [fonte]. Muitas vezes é por isso que sentimos fome logo após uma refeição.

Os resultados sugerem que a estrutura da massa é alterada durante o processo de resfriamento e reaquecimento, transformando-a em um amido resistente. Esses tipos de amidos são classificados como fibras dietéticas e são resistentes às enzimas normais que nosso corpo usa para digerir o alimento, produzindo, assim, um menor pico de glicose, absorvendo menos calorias e mantendo-nos saciados por mais tempo [fonte].

Mas o que isso significa pra você?

Embora seja uma ótima notícia para os amantes de massa, esse estudo não é um passe livre para comer massa o dia todo, todos os dias. A glicose pode ser um combustível importante para o corpo e para o cérebro, mas em excesso pode ser prejudicial à saúde e levar a serias complicações, tais como insuficiência renal, lesão neural e diabetes.

Em vez disso, os resultados confirmam que a massa é um membro valioso da família dos grãos para ser comida — sem vergonha ou culpa — moderadamente como parte de um plano nutricional balanceado. De acordo com a dieta mediterrânea, toda refeição deve conter pelo menos dois vegetais, duas frutas e uma porção de pão, grãos ou massa.

O ESTUDO

O estudo foi conduzido pelo Dr. Chris van Tulleken sob a direção da Dra. Denise Robertson da Universidade de Surrey, e baseia-se em uma amostra de nove pessoas que consumiram três pratos de massa preparados de forma diferente (quente, frio e reaquecido, todos preparados com o mesmo molho de tomate) em três ocasiões separadas durante algumas semanas [fonte].

Depois de cada refeição, os voluntários tinham que tirar amostras de sangue a cada 15 minutos por um período de duas horas para monitorar de perto os níveis de glicose.

É importante notar que os resultados, embora interessantes, pertencem a uma amostra bem pequena da população, e por isso não são estatisticamente válidos ou aplicáveis a todos [fonte].

Latest Posts

Food Lovers

173 queries in 0.682 seconds.