Prosecco: Espumante em Estilo Italiano

Por Filippo Berio
Se você já esteve na itália, é provável que já tenha tomado prosecco...

Ao simplesmente entrar em um café de esquina para uma Happy Hour ou ao se sentar em uma tradicional trattoria para jantar, este vinho leve e espumante provavelmente já foi oferecido a você para abrir seu apetite.

Enquanto alguns turistas confundem o Prosecco com o champagne, qualquer italiano amante de vinho lhe dirá que ele é bem diferente do equivalente francês.

Em primeiro lugar, o Prosecco é 100% italiano, originário de uma pequena cidade próxima a Trieste, na região de Friuli-Venezia Giulia, no nordeste da Itália. Trata-se do vinho italiano mais importado em todo o mundo, e já ultrapassou o champagne em 2014 no número total de garrafas vendidas no mundo [fonte]. É um feito impressionante!

Então por quê o Prosecco é tão especial? Para citar apenas um fator, suas bolhas de ar e seu perfil de sabor único o tornam um vinho simples e refrescante, adequado para todas as ocasiões.
O Prosecco é feito com uvas brancas Glera, antes chamadas de uvas prosecco, que contém os aromas frutados e florais pelos quais são famosas, tais como: pêra, maçã, cítricos, pêssego branco, fava de baunilha, flor branca e madressilva. Seus tons frescos e doces combinam melhor com aperitivos salgados, carnes curadas italianas, pratos de massa com frutos do mar, ou saladas, bem como entradas de peixes [fonte].

O Prosecco também é mais barato que o champagne (boas notícias para os amantes de vinho) graças aos custos reduzidos de mão-de-obra e ao processo mais rápido de produção. A maioria dos vinhos Prosecco é obtida usando o método charmat, ou de tanque, no qual a fase de fermentação secundária é feita em tanques pressurizados em vez de garrafas individuais, como no método champenoise tradicional. Este processo pode levar de 30 dias a até 6 meses para ser concluído, e preserva os aromas frutados naturais do vinho [fonte].

O resultado é um vinho espumante deliciosamente espumoso, frisado e leve com um teor de álcool levemente mais baixo que o champagne.

O QUE PROCURAR AO COMPRAR

Comprar um Prosecco em uma adega ou supermercado pode ser confuso, então tenha em mente essas três coisas ao escolher a garrafa certa para seu paladar:

Autenticidade

Para garantir a autenticidade do produto, o governo italiano introduziu um sistema para regulamentar os métodos de produção e as origens do Prosecco, bem como outros alimentos populares feitos na Itália.

  • DOC Prosecco — Denominação de Origem Controlada
    ­Produzido em 9 províncias da Itália, entre as regiões de Veneto e Friuli-Venezia Giulia, esses vinhos DOC estão disponíveis em três tipos: spumante (espumante), frizzante (frisante) e fermo (sem gas). O mais popular deles é a variedade spumante [fonte].
  • ­DOCG Prosecco – Denominação de Origem Controlada e Garantida
    Também chamados de DOCG Prosecco Superiore, esses vinhos de alta qualidade só podem ser produzidos em Conegliano e Valdobbiadene, localizados na província da região de Veneto.

Conclusão: se você não encontrar a inscrição DOC ou DOCG no rótulo da garrafa, provavelmente não vale a pena comprar.

Tipos

Assim como o champagne, o Prosecco está disponível em três tipos [fonte]:

  • ­Brut = até 12 gramas/litro de açúcar residual (não convertido em álcool);
  • Extra seco =entre 12-17 gramas/litro de açúcar residual;
  • Seco = entre 17-32 gramas/litro de açúcar residual.

Ao decidir qual variedade é melhor, considere os alimentos que você vai servir com o Prosecco, para não exagerar no açúcar.

Colheita
O Prosecco não fermenta em garrafas e perderá efervescência e sabor com o tempo, então lembre-se de escolher uma garrafa jovem e consumi-la em 1 a 3 anos (dependendo da qualidade) para um sabor melhor.

COQUETÉIS POPULARES COM PROSECCO

Embora o Prosecco seja delicioso e refrescante por si só, também é uma ótima maneira de adicionar um pouco de refresco e aroma aos coquetéis. Experimente fazer esses drinks italianos favoritos:

Bellini
Receita “Contemporary Classics” da Associação Internacional de Bartenders, adaptada

  • 10 de Prosecco
  • 5cl de polpa ou suco de pêssego

Coloque a polpa de pêssego em um copo refrigerado e adicione Prosecco espumante. Misture suavemente.
Outras variações incluem:

  • Puccini – feito com suco natural de tangerina;
  • Mimosa não tradicional – feito com suco natural de laranja;
  • Rossini – feito com polpa natural de morango;
  • Tintoretto – feito com suco natural de romã.

O Spritz do Veneto
Receita “New era drinks”da Associação Internacional de Bartenders, adaptada

  • ­6cl de Prosecco
  • ­4cl de Aperol (que pode ser substituído por outras bebidas amargas, como Campari ou Cynar)
  • um pouco de água carbonatada

Coloque o Prosecco e o Aperol em uma taça vintage com gelo. Cubra com a água carbonatada e enfeite com a metade de uma fatia de laranja.

Latest Posts

Food Lovers

173 queries in 0.623 seconds.